domingo, 18 de setembro de 2011

NO SABOR DO TEU MEL


                                                               

                                     
                                 NO SABOR DO TEU MEL  

Dentro de mim
O grito sufocado...
Triste da minha alma
Clama por ti meu coração
Não é uma ilusão
É meu todo em vibração
Sim...
A morada do meu corpo está vazia
Não tem você meu poeta e sua poesia
Meus olhos são noites escuras
Sem estrelas e sem luar
Quero uma madrugada de ternura
Intensa
Imensa
Pensa
Eu sou tua lua
Inteiramente sua
Branca e nua
Na verdade
De quem ama
E chama
Vem agora
Chega de saudade!
E você
Com tal suavidade
Na felicidade do ser
Do ter
Na noite clara dos meus desejos
Quero sentir dentro de mim
O sabor do teu mel
Dos teus beijos
Atrevidos
Marcando
Selando
Carinhosamente
Divinamente
Cada pedaço meu
No sabor do teu mel